Filosofia do Textão

22 de abril de 2019 0 Por Leandro Marçal

Textão no Facebook para desejar um feliz aniversário àquela pessoa querida. Outro textão no Facebook reclamando de um buraco na rua, que há muito tempo a prefeitura sabe e não faz nada para resolver. Mais um textão no Facebook com toda a felicidade pelo empenho na dieta, na academia, no Crossfit.

O Brasil vive um caos político, há muita gente despreparada no poder: vale um textão no Facebook para conscientizar a galera. Quando há respostas agressivas, com pouco embasamento e muita raiva, lá vem textão.

Textão para refletir sobre a vida, lembrar a importância de cuidados com a saúde mental, demonstrar a indignação com aquele caso da pessoa que agredia crianças e ganhou notoriedade no vespertino policial.

É importante um textão no Facebook indicando que o Facebook é só uma rede social, não um lugar de textão. Réplica com um textão rebatendo a acusação anterior, porque todo lugar é lugar de textão.

Para convocar a turma ao protesto de extrema-direita contra tudo isso que está aí: textão. Para rebater o protesto e mostrar a importância da democracia nesses tempos de ignorância e autoritarismo: textão.

Contra o machismo, atacando as feministas, pelo fim dos assédios, ridicularizando o mimimi, por um humor que ataque o oprimido e não o opressor, pelo humor livre e sem limites. Atacando o racismo, acusando de vitimismo, questionando tudo isso.

Textão por pessoas desaparecidas. Textão com imagens fortíssimas que eu nem queria compartilhar, mas acabo compartilhando e depois concordo que ninguém deveria compartilhar porque é de mau gosto.

Tem aquele textão para chamar o Facebook de melhor rede social. A resposta com um textão sobre o porquê migrou-se para o Twitter. Mais um textão contra a superficialidade das fotos irreais do Instagram. Um último textão sobre o LinkedIn. O pós-último textão provando, com argumentos científicos de um instituto de pesquisas inglês, o quanto as redes sociais prejudicam nosso cérebro e nos fazem ter uma percepção distorcida de tudo que nos cerca.

Textão para quando o avô morre, textão quando a filha nasce. Passou de cinco linhas, é textão. Um comentário sobre não ler nada além disso, um textão sobre essa gente inculta que não gosta de leitura. Textão sobre esse textão sobre o textão que geraria um textão a partir de um textão que o autor leu.

Textão, textão, textão…